Serviço de Orientação Psicopedagógica

SOPp

Planeja, executa, controla e avalia os projetos de orientação psicopedagógica e profissional, em articulação com a coordenação de educação básica e educação infantil e coordenação de áreas e disciplinas, com vistas à consecução dos objetos propostos e em consonância com as diretrizes da direção geral.

Serviço de Orientação Psicopedagógica

O Serviço de Orientação Psicopedagógica (SOPp) tem como objetivo elaborar, administrar e viabilizar recursos que favoreçam o  processo de ensino-aprendizagem. Tal processo visa a formação  ampla e integral  dos nossos alunos e, por isso, abarca  aspectos pedagógicos, psíquicos e sociais. Para este fim, procura, também, integrar todos os atores da comunidade educativa na consecução de seus objetivos.

Por meio de projetos anuais, elaboramos ações que visam, educar,  formar  e desenvolver habilidades e competências. Buscamos, também, atender às demandas, emergenciais ou não, surgidas no espaço escolar. É importante ressaltar que a escola, hoje, precisa estar atenta às constantes mudanças, próprias do mundo contemporâneo, que se caracteriza  por transformação, inovação e incerteza. O século XXI traz em seu bojo solicitações nunca antes requeridas, demandando uma nova postura diante da vida. É preciso lidar com este cenário sob outra ótica: da mudança de paradigma, na qual devemos procurar não mais reproduzir o conhecimento, mas produzi-lo. Precisamos aprender a pensar, a criticar, a desenvolver a autonomia e a interação, de forma inteligente e criativa, além de procurar ampliar capacidades para a vida. Nesse sentido, é necessário favorecer, em nossos alunos, ou até, em cada um de nós, a construção de recursos internos que facilitem uma maior integração (acadêmica e social) com o outro, com a comunidade, com o planeta. É preciso desenvolver uma nova consciência,desde a educação infantil até o ensino médio. Daí a necessidade de uma atuação, não só para desenvolver estes recursos, mas para  interferir e criar estratégias que deem conta de situações próprias do universo escolar.

Projeto Integração

PROJETO INTEGRAÇÃO:

1) JUSTIFICATIVA:

Tendo em vista o novo cenário que se descortina no mundo SOEatual, que exige dos sujeitos nele inseridos, uma nova postura: mais responsável, mais atuante, mais ética e integrada nas relações entre os homens, entende-se que o trabalho de educação passa a ser bastante intenso. Isto significa que o papel dos educadores se torna crucial na formação de valores, na construção do sujeito de forma integrada, preparando-o, entre outras coisas, para o exercício da ética e da cidadania. Dessa forma, toda a comunidade educativa pode funcionar como elemento disparador e propiciador dessa inter-relação. Cada um de nós passa a ser co-reponsável pela integração das pessoas com as quais convivemos. Tanto o professor, quanto o aluno, o orientador, e ainda, toda a comunidade educativa estão inseridos num campo de forças no qual, cada um, em sua singularidade, vetoriza as direções nesse campo – promovendo aproximações, afastamentos, empatias e rejeições. Assim, é necessário desenvolver um trabalho de integração, buscando melhorar, conscientizar e esclarecer as relações entre os membros do grupo escolar.

2) OBJETIVO GERAL:

Possibilitar que a comunidade educativa do CNSD intensifique o diálogo entre seus membros para promover o desenvolvimento e aprofundamento das relações interpessoais na comunidade educativa, e ainda, viabilizar um diagnóstico do nível de acolhimento que a escola promove.

3) OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

– Criar condições que alimentem, na comunidade educativa do CNSD, a identificação com a proposta Doroteana.
– Facilitar a integração aluno x professor, aluno x família.
– Propiciar ao educando um maior conhecimento de seu entorno.
– Incentivar nos alunos o senso de solidariedade e reconhecimento da situação atual das crianças brasileiras.
– Desenvolver no aluno o sentimento de amor e respeito à vida em todas as suas manifestações.
– Promover ações que possibilitem a capacitação de professore e funcionários.
– Criar espaços de troca na comunidade educativa.

4) PÚBLICO ALVO:

Alunos da Educação Infantil até a terceira série do Ensino Médio.

5) METODOLOGIA:

A metodologia utilizada consiste em procedimentos e técnicas específicas, incluindo dinâmicas de grupo, entrevistas ( individuais e em grupo ), testes, textos, etc…

– Os trabalhos serão executados em parceria com o SOPs/SOR, através de dois módulos de duas sessões, no primeiro e no segundo trimestres.

Projeto de Liderança

PROJETO DE LIDERANÇA

1) JUSTIFICATIVA:

A liderança é um fator fundamental na execução de tarefas envolvendo SOEgrupos. É normalmente conceituada como “a realização de atos que auxiliam o grupo a atingir seus resultados desejados” (Cartwright/Zander, 2006). Liderar, normalmente traduzido como ter poder, não necessariamente implica em traços definidos de personalidade. O poder está relacionado à capacidade de influenciar as pessoas. Atualmente, o conceito de liderança está relacionado às funções de grupo. Nesse sentido, as teorias recentes apontam que uma liderança adequada depende do tipo de grupo na qual está inserida. “A liderança é vista como um ato ou atos que qualquer pessoa pode apresentar em diferentes graus e não algo que se tem ou não” (Cartwright/Zander, 2006).
Assim, a questão da liderança se faz presente em todos os âmbitos que envolvem grupos e inter-relação. O CNSD propõe-se a ser um espaço de formação integral de seus alunos, trabalhando e desenvolvendo esse aspecto tão importante no relacionamento interpessoal e na construção da cidadania..

2) OBJETIVO GERAL:

Viabilizar o afloramento e desenvolvimento das situações e características específicas envolvidas nos diversos processos de liderança.

3) OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

– Criar mecanismos e procedimentos que viabilizem o contato com aspectos relativos a liderança.
– Promover trabalhos de inter-relação que propiciem vivências de liderança.
– Exercitar as funções do líder em diversas situações cotidianas.
– Conscientizar sobre a importância da liderança na construção da cidadania.
– Trabalhar questões relativas ao auto-conhecimento atreladas à função de liderança.
– Criar ações solidárias que permitam o entrelaçamento das noções de liderança e missão social.

4) PÚBLICO ALVO:

Alunos do segundo segmento do Ensino Fundamental a terceira série do Ensino Médio.

5) METODOLOGIA:

A metodologia utilizada consiste em procedimentos e técnicas específicas, incluindo dinâmicas de grupo, entrevistas ( individuais e em grupo ), testes, textos, etc…

Projeto Hábitos de Estudo

PROJETO DE HÁBITOS DE ESTUDO:

1) JUSTIFICATIVA:

Estudar tem como finalidade última, aprender. Porém, não parece ser SOEessa a visão que o aluno tem em relação ao estudo. Em geral, ele atribui a isto uma série de dificuldades, entre elas, a inutilidade da tarefa, o cansaço, o esforço, etc. O que não entra em cena é a utilidade do mesmo. Se precisamos aprender para adquirir conhecimento, o caminho é trilhado através do estudo. As dificuldades são traduzidas como desmotivação, falta de interesse, entre outras coisas.
Verifica-se que o aluno não está acostumado a relacionar suas dificuldades acadêmicas com o ato de estudar, ou seja, não percebe que, desiste por não entender a tarefa, não saber como fazê-la.
Nesse sentido, é muito importante viabilizar a construção de hábitos de estudo que, de alguma forma, possam sistematizar o interesse pelas disciplinas, e aumentar o processo de construção do conhecimento, pela regularidade de manuseio do material utilizado. Se o aluno for acostumado a raciocinar sistematicamente, será mais fácil recorrer às estruturas cognitivas que estão sendo construídas. “Muitos alunos se queixam de problemas no aproveitamento, no entanto, talvez o problema esteja mais ligado à forma e condições em que ocorre o ato de estudar, e não ao tempo dedicado a esta atividade. A prender a estudar começa em sala de aula na interação com o professor.”(Serviço de Psicologia da Universidade de São Carlos).

2) OBJETIVO GERAL:

Viabilizar a construção de hábitos de estudo na rotina diária do aluno.

3) OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

– Criar mecanismos e procedimentos que viabilizem a formação de hábitos de estudo.
– Orientar professores no processo de construção desses hábitos em sala de aula.
– Criar parcerias com a família para que a mesma facilite este processo.
– Permitir que o(a) aluno(a) conheçam aspectos metacognitivos.
– Viabilizar a noção de matriz de aprendizagem individual.

4) PÚBLICO ALVO:

Alunos do Ensino Fundamental até a terceira série do Ensino Médio.

5) METODOLOGIA:

A metodologia utilizada consiste em procedimentos e técnicas específicas, incluindo dinâmicas de grupo, entrevistas ( individuais e em grupo ), testes, textos, etc…

Para todos os segmentos, de uma forma geral, a metodologia utilizada consiste em :
.1- Avaliações com acompanhamento através de :
• Observação de professores
• Testagens
• Trabalhos sistemáticos com os alunos.

Projeto de Construção da Disciplina

PROJETO DE CONSTRUÇÃO DA DISCIPLINA
ENSINO FUNDAMENTAL – 1ª a 4ª SÉRIE:

JUSTIFICATIVA:

Na era da complexidade, do descartável, do capitalismo selvagem, do SOEindividualismo intenso, percebemos uma perplexidade geral, que deixa o homem sem certezas e sem instrumentos para enfrentar as múltiplas demandas desse novo milênio. Entre elas, a falta de regras que implica numa tosca disciplina, gerada e gerida pelo desejo de uns, contrário ao desejo de outros. O isolamento imputado ao homem moderno talvez o impeça de pensar no outro, de respeitar as diferenças, de viver em comunidade. A imposição de suas crenças, de suas expectativas e sonhos, impede muitas vezes que esse outro cresça, se desenvolva e se respeite. Ao aprofundarmos esta questão, podemos inferir que o respeito talvez seja a base e o eixo do problema. Assim, a equipe técnica do CNSD busca desenvolver um trabalho que favoreça a construção de regras baseadas no respeito a si mesmo e no próximo, propiciando a internalização de valores fundamentais para a convivência e o crescimento humano.

OBJETIVO GERAL:

Viabilizar procedimentos que permitam a construção de regras e limites pautados pelo respeito, amor e confiança, através da inter-relação.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

• Promover atitudes de respeito entre colegas, professores, pais, enfim, toda a comunidade educativa.
• Viabilizar recursos que fomentem a construção de regras básicas de disciplina.
• Trabalhar a auto-estima para mantê-la e/ou torná-la positiva.
• Desenvolver a autonomia e iniciativa.
• Propiciar o desenvolvimento do senso de responsabilidade.
• Promover a co-gestão entre alunos e professores.
• Trabalhar os recursos e possibilidades cognitivas e emocionais no enfrentamento do fracasso.
• Estimular a construção de hábitos.
• Estimular a criatividade e a fantasia.

METODOLOGIA:

Na rotina de sala de aula, durante o ano letivo, em intervenções bi-semanais e/ou diárias, utilizando as seguintes técnicas:
– Dinâmicas de grupo;
– Textos para reflexão,
– Brincadeiras;
– Jogos, etc.

Projeto de Orientação Profissional

PROJETO DE ORIENTAÇÃO PROFISSONAL

1) JUSTIFICATIVA:

O ato de escolher nos remete a muitas reflexões, dúvidas, perdas e SOEganhos. Como percorrer o caminho da escolha profissional sem auto-conhecimento, sem questionamentos, sem subsídios para lidar com todas as situações que contextualizam o momento de decisão? Nossos jovens, além de precisarem construir-se, sintetizar suas identidades, precisam em “tempo record” decidir qual será seu destino profissional. Considerando que o trabalho é um dos principais objetivos da escolarização, e ainda que a preocupação com o mesmo parece surgir, em nossa realidade – de escola particular, nas vésperas do vestibular, o CNSD, propõe-se a construir, desde a mais tenra idade, a identidade vocacional de seus alunos, através de ações propiciadoras desse desenvolvimento. Isto se justifica porque quanto mais possibilidades tiver o aluno, de tocar , ainda que forma sutil, no mundo do trabalho, com suas implicações éticas, sociais e morais, mais facilitada ficará sua escolha na adolescência.
O Colégio Nossa Senhora das Dores acredita que, através do estímulo e construção da identidade profissional, podemos facilitar uma escolha possível para nossos alunos. Dessa forma, em parceria com outras disciplinas, desenvolvemos a orientação profissional curricular, acreditando que podemos ser facilitadores desse processo que inclui autonomia, responsabilidade e coragem.

2) OBJETIVO GERAL:

Viabilizar a facilitação da escolha profissional através de ações e procedimentos específicos.

3) OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

– Viabilizar a escolha profissional, através de ações e procedimentos específicos, enfocando o ensino médio para ações sistemáticas, e os outros segmentos de forma mais esporádica.
– Propiciar noções do mundo de trabalho e a inserção de profissionais solidários no mesmo.
– Criar mecanismos de integração entre o currículo e o mundo do trabalho.

4) PÚBLICO ALVO:

Alunos da educação infantil até a terceira série do ensino médio.

5) METODOLOGIA:

A metodologia utilizada consiste em procedimentos e técnicas específicas, incluindo dinâmicas de grupo, entrevistas ( individuais e em grupo ), testes, textos, etc…

Para todos os segmentos, de uma forma geral, a metodologia utilizada consiste em :
.1- Avaliações com acompanhamento através de :
• Observação direta
• Observação de professores
• Testagens
• Entrevistas com pais, professores e funcionários
• Abordagens com equipe técnica e diagnóstico subseqüente.

Projeto de Compreensão de Texto

PROJETO DE COMPREENSÃO DE TEXTO

1) JUSTIFICATIVA:

A falta de compreensão de texto tem sido objeto de inúmeros SOEquestionamentos entre os profissionais que lidam com educação. Não é raro encontrarmos os chamados “analfabetos funcionais” entre alunos que cursam uma graduação de ensino. Tropeçamos em “maus leitores” em escolas públicas e privadas, o que pode indicar lacunas no processo educacional. Esse fato não se restringe à realidade brasileira, podemos citar STERNBERG (2000) que informa que “a capacidade normal para ler não é absolutamente simples e que cerca muitos adultos ainda não aprenderam a ler em nível de oitava série”. Sabe-se que, pedagogicamente, o ensino da leitura muitas vezes, se limita a uma boa decodificação, isto é, entende-se que, se o aluno sabe ler e escrever, naturalmente saberá compreender e interpretar. Aprender parece ser um processo receptivo, e não ativo. Da mesma forma que, conforme afirma KATO (2002) se o professor ensinar a escrever, o aluno aprenderá automaticamente a ler. Essa perspectiva minimiza a questão do desenvolvimento e das habilidades cognitivas que se constroem na maturação e na interação com o meio. A compreensão de texto requer a construção de várias habilidades cognitivas. Essa visão sobre esse tema é relativamente recente e surge com o desenvolvimento dos estudos nas áreas da lingüística, da psicologia do desenvolvimento cognitivo, da teoria do processamento de informação, entre outras, indicando que essa capacidade é construída e implica no desenvolvimento e estruturação de habilidades cognitivas específicas.

STERNBERG (2000), enfatiza que quando aprendem a ler, os leitores iniciantes têm de chegar a dominar dois tipos básicos de processo: os processos léxicos e os processos de compreensão. Os processos léxicos ao usados para identificar as letras e as palavras; também ativam a informação relevante na memória sobre estas palavras. Os processos de compreensão são utilizados para entender o texto como um todo.
No entanto, quando se fala de ensino formal, percebe-se que a escola enfatiza a decodificação do código lingüístico. Aprender é visto como um ato passivo, e não ativo. No entanto, se a leitura for considerada como instrumento de comunicação, certamente será necessário considerar o envolvimento ativo do indivíduo, onde estão inseridas uma série de habilidades. Nesse sentido tratamos da construção de estratégias cognitivas e metacognitivas. O processo de leitura envolve uma série aspectos, porém, podemos afirmar que basicamente “o ato de ler consiste, pois, no processamento de informação de um texto escrito com a finalidade de interpretá-lo.” (COLOMER, 2002) A integração entre o que é retirado do texto pelo contato visual, e o que é obtido pelo conhecimento prévio, ou seja a informação que está por trás dos olhos, é a fundamental para que a compreensão de um texto ocorra. De acordo com COLOMER (2002) a construção do sentido do texto passará por um processo que envolve a formulação de hipóteses, a verificação dessas hipóteses e a integração entre a informação e o controle da compreensão.
Por entender a complexidade desse processo, interessa-nos atuar na prevenção das possíveis lacunas deixadas pelas falhas no desenvolvimento de algumas habilidades, que repercutem no baixo desempenho de alunos, tanto em séries iniciais quanto em séries avançadas.

2) OBJETIVO GERAL:

Viabilizar o processo de compreensão e interpretação de texto em alunos do Ensino Fundamental e Médio.

3) OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

– Desenvolver as habilidades envolvidas no processo de compreensão de texto.
– Criar estratégias para o desenvolvimento do processo leitor.
– Viabilizar ações multiplicadoras dos hábitos de leitura.
– Permitir o contato com os múltiplos tipos de texto.
– Enfocar as diferentes intenções do autor no processo comunicativo.
– Propiciar vivências no mundo letrado, visando uma inserção motivada do aluno.
– Criar mecanismos de integração entre o currículo e o processo leitor.
– Viabilizar noções de psicologia cognitiva para os atores envolvidos no processo.
– Orientar os pais quanto ao processo de construção da leitura.

4) PÚBLICO ALVO:

Alunos do Ensino Fundamental e Médio.

5) METODOLOGIA:

A metodologia utilizada consiste em procedimentos e técnicas específicas, incluindo dinâmicas de grupo, entrevistas ( individuais e em grupo ), testes, textos, etc…

Projeto de Trabalho

PROJETO DE TRABALHO

1) JUSTIFICATIVA:

Levando-se em conta a necessidade de trabalhar o aluno de forma SOEintegral, faz-se necessária uma atuação ampla que priorize ações preventivas.
A aprendizagem é um processo que envolve uma multiplicidade de fatores que interferem tanto positivamente, quanto negativamente, na sua construção. São eles: cognitivos, físicos, psíquicos e sociais. Dessa forma, é importante desenvolver ações que envolvam todos esses aspectos, viabilizando a consecução do processo.
Além disso, vivemos num mundo, onde é preciso lidar com o mesmo sob outra ótica: da mudança de paradigma. Assim, entende-se que é necessário, não mais reproduzir o conhecimento, mas produzi-lo. Para isso, precisa-se aprender a pensar, aprender a interagir com o mundo. Neste processo, necessita-se construir recursos internos que facilitem uma maior interação com o outro, com a comunidade, com o mundo. É preciso construir uma nova consciência desde a Educação Infantil até o Ensino Médio. Daí a necessidade de uma atuação onde seja possível, não só desenvolver estes recursos, mas interferir e criar estratégias que dêem conta de situações emergenciais e pontuais.
É importante também, frisar que esta proposta coaduna com os objetivos gerais da escola, que, por sua vez são embasados nos objetivos da congregação, sob a luz das intenções pedagógicas de Santa Paula.

2) OBJETIVO GERAL:

Viabilizar a aprendizagem em seu sentido mais amplo, através de ações e procedimentos específicos.

3) OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

– Criar mecanismos e procedimentos que viabilizem a integração do aluno, do professor e funcionários na vida e no projeto pedagógico da escola.
– Integrar, através de ações específicas, a comunidade educativa (família, alunos, professores, funcionários, equipe técnica, irmãs).
– Criar ações preventivas para facilitar o processo ensino-aprendizagem.
– Com base no objetivo geral, criar trabalhos sistemáticos através de projetos com os pais, alunos e professores.
– Acompanhar/encaminhar individualmente alunos, pais e professores que apresentem dificuldades (emocionais, cognitivas, etc).
– Estimular alunos, através de procedimentos específicos, que apresentem alto desempenho.
– Criar projetos que fomentem a formação integral do aluno: liderança, inter-relação, auto-conhecimento, sexualidade, disciplina, etc.
– Viabilizar a escolha profissional, através de ações e procedimentos específicos, enfocando o ensino médio para ações sistemáticas, e os outros segmentos de forma mais esporádica.
– Propiciar noções de mundo de trabalho e a inserção de profissionais solidários no mesmo.
– Trabalhar, de forma sistemática, com os professores e equipe as dificuldades surgidas na turma.
– Promover espaços de formação para a comunidade educativa.
– Acompanhar, orientar e supervisionar o trabalho das estagiárias.

4) PÚBLICO ALVO:

Alunos da Educação Infantil até a terceira série do Ensino Médio.

5) METODOLOGIA:

A metodologia utilizada consiste em procedimentos e técnicas específicas, incluindo dinâmicas de grupo, entrevistas ( individuais e em grupo ), testes, textos, etc…

Para todos os segmentos, de uma forma geral, a metodologia utilizada consiste em :

1- Avaliações com acompanhamento através de:

• Observação direta
• Observação de professores
• Testagens
• Entrevistas com pais, professores e funcionários
• Abordagens com equipe técnica e diagnóstico subseqüente.

2- Através dos resultados obtidos nestas avaliações, serão construídas intervenções específicas e contextualizadas.

Orientação Profissional

ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

O que você vai ser quando crescer?

Mais do que uma curiosidade, essa pergunta aflige uma grande parcela de jovens que estão em busca de inserção no mundo profissional. E por que tanta aflição? Como se não bastasse a necessidade premente do adolescente mergulhar em sua interioridade para buscar pistas sobre si: habilidades, personalidade e interesses, ainda é preciso que ele conheça as novas configurações do mundo de trabalho contemporâneo e as inúmeras possibilidades de formação acadêmica. Tanto conhecimento em meio a uma fase da vida em que o ser realmente desabrocha e que tudo é novo, desafiador e desejado, é realmente uma tarefa árdua. Atento a todas essas demandas, o CNSD se antecipa e promove um trabalho de orientação profissional curricular, ao longo das séries, no intuito de desenvolver a identidade profissional e de minimizar os impactos que aprender a escolher tem sobre a vida dos futuros trabalhadores de nosso mundo.

Desenvolvimento de Potencial

DESENVOLVIMENTO DE POTENCIAL

Nem um a menos

Uma escola inclusiva é aquela que oportuniza a formação de todos os seus alunos, independente das diferenças individuais. Uma escola inclusiva procura valorizar cada ator da comunidade educativa, aproveitando a diversidade de características, de talentos e de inteligências próprias de cada um. Para que todos possam ter vez, o CNSD utiliza o programa de desenvolvimento de potencial, no qual, tanto os alunos que apresentam dificuldades ou transtornos de aprendizagem, quanto aqueles que se destacam pelo excelente desempenho acadêmico e social, são priorizados. E aqueles que estão na média são estimulados a superarem a si mesmos, ampliando progressivamente suas habilidades e competências. Dessa forma, o suporte diferenciado aos alunos com dificuldades, as monitorias e módulos de reforço são algumas vertentes dessa proposta da escola.

Desenvolvimento da Compreensão Leitora

DESENVOLVIMENTO DA COMPREENSÃO LEITORA

Você sabe ler?

Ler e compreender aquilo que está sendo lido vai além da fruição. Não se trata apenas de entretenimento, nem tampouco de uma forma de realizar tarefas em determinadas disciplinas. Ao contrário, refere-se à leitura do mundo: de manual de instrução, de bula de remédio, de rótulo de shampoo, de outdoor, de placas informativas, entre outros. Assim, promovemos o desenvolvimento da compreensão leitora, por meio de diversos procedimentos teórico-práticos, em todos os segmentos do CNSD. Dessa feita, é possível formar leitores proficientes, críticos e reflexivos.

© 2017 Gular Digital | SEMPRE INOVANDO

X