A Congregação

Congregação

Paula Frassinetti e a Congregação de Santa Dorotéia do Brasil

Órfã de mãe aos 9 anos, adolescente dedicada aos cuidados da família e da casa, jovem que decide trilhar um caminho de solidariedade, Paula Frassinetti cresceu na companhia do pai e de quatro irmãos que se tornaram sacerdotes. É o início da história de uma mulher que soube estar à frente de seu tempo.

Paula nasceu na cidade de Genova, na Itália. Ao longo da vida experimentou grandes desafios históricos que marcaram a Itália no final do século XIX. Em um período de grandes instabilidades políticas e econômicas, enfrentou, com muita fé em Deus e determinação, as dificuldades que oprimiam as mulheres de sua época.

Com um pequeno grupo de jovens criou uma congregação religiosa e dedicou sua vida à educação de meninas e jovens pobres em um projeto feito de partilha e amor ao próximo.

Assim, a 12 de agosto de 1834, no santuário de S. Martinho de Albaro, sete jovens consagram a Deus a sua vida. Sentem-se felizes e, apesar dos obstáculos, o ideal logo se torna uma realidade. São seis as companheiras que, vivendo em comunhão de amor, superam momentos difíceis e iniciam, sob o signo da cruz, uma obra ancorada nos ensinamentos de Jesus Cristo. Abrem uma escola para as crianças mais pobres. O entusiasmo é o segredo do êxito da escola.

Em 1835, D. Lucas Passi, sacerdote de Bérgamo, conhecendo o zelo apostólico de Paula, propõe-lhe que o seu Instituto assuma a Pia Obra de Santa Dorotéia, que ele fundara com a finalidade de atingir as jovens mais pobres e necessitadas. Paula descobre, na originalidade dessa obra, a sua própria linha educativa e a dimensão apostólica da sua consagração, e não hesita em incluí-la entre as atividades do seu Instituto. As suas Irmãs passam a ser chamadas de ”Irmãs de Santa Dorotéia”.

É um momento importante na vida daquela primeira comunidade, que vê concretizar-se a inspiração inicial: ” Estar plenamente disponíveis nas mãos de Deus para evangelizar através da educação, com preferência pelos jovens e pelos mais pobres”.

Outras casas são fundadas em Gênova. Depois, é a vez do centro da cristandade, em Roma, em 1841.

Três anos depois, o Papa confia a Paula a direção do “Conservatório” de Santa Maria do Refúgio, em Santo Onofre, em Roma. Com a sua caridade e suavidade, imprime ao ambiente um novo cunho e uma mudança decisiva para o futuro da instituição.

Pela sua ação, a Casa de Santo Onofre torna-se a Casa Geral.

Inicia-se a última etapa da vida da Fundadora, que podemos considerar o período da grande expansão do Instituto que se estende na Itália e no mundo.

Em 1866, as primeiras missionárias veem para o Brasil e partem para Portugal. Paula, com muita fé e determinação, anima as suas filhas dizendo: “O Senhor as encha do Seu Espírito e as converta em outras tantas chamas ardentes que, onde tocarem, acendam o fogo do Amor de Deus.

O Instituto das Irmãs de Santa Doroteia foi, ao longo dos anos, atingindo outros países e, hoje, se faz presente em quase todos os continentes.

CongregacaoNoMundo
Em 11 de Junho de 1882, a morte calma e tranquila de Paula deixa entrever a riqueza da sua vida que, mais tarde, vai originar um processo canônico visando a sua beatificação.

Em 8 de Junho de 1930: Paula é beatificada!

Em 11 de Março de 1984, os sinos da Basílica de São Pedro repicam festivamente para anunciar que Paula é Santa!

Paula com sua força e coragem ofereceu um exemplo fundamental para o trabalho desenvolvido pela Congregação que conta cada vez mais com a colaboração de leigos. Paula hoje continua animando a todos a enfrentarem os novos tempos e seus desafios, recriando práticas, saberes na apaixonante aventura de educar, na perspectiva de uma vida plena, rica de sentido, aberta a Deus, aos outros e ao mundo.

EFL – Escola de Formação Permanente dos Leigos Educadores

A formação permanente de professores é desafiadora em uma sociedade de profundas mudanças. Tal desafio se intensifica em instituições religiosas nas quais as diversas equipes responsáveis pela gestão e execução do processo pedagógico cada vez mais são formadas por leigos. Esses precisam conhecer e se identificar com os carismas das congregações mantenedoras das escolas confessionais, de modo que se deixem envolver pela sua memória, recriando-a em diálogo com os novos tempos. Tal exigência é fundamental para a permanência das obras em um mundo no qual a educação integral, abraçada por essas instituições, se faz urgente e necessária.

A Congregação de Santa Doroteia do Brasil sensível a essa questão, cria em 2011, a Escola para Formação Permanente de Leigos Educadores. Com o propósito de dar continuidade ao Carisma de Paula Frassinetti, fortalecendo a sua identidade como escola católica, com excelência acadêmica e humanística.

A proposta da Escola para Formação Permanente de Leigos Educadores é constituída de uma comissão responsável pela coordenação do projeto em nível provincial e de uma comissão local, em cada escola. O itinerário de formação continuada prevê um processo gradual de aprofundamento no qual o leigo é protagonista de sua própria formação, assumindo a sua missão de educador doroteano; e uma experiência pessoal e comunitária de fé na qual e pela qual fortalece e confirma a sua pertença à Família Dorotéia.

Escola de Formação Permanente dos Leigos Educadores

Brasão da Congregação

Neste brasão, a estrela matutina faz-nos rememorar a devoção de Paula a Maria; o frassino – arbusto típico da Itália – a fecundidade da obra doroteana; o pássaro, a simplicidade que Paula abraçou como marca do trabalho doroteano. Os alunos das escolas da congregação, cuja educação é transpassada por valores cristãos e humanos, estão representados pelo lírio. A terra remete-nos ao compromisso da Igreja com a defesa da vida plena para todos nós.

Santa Dorotéia

Oração à Santa Paula Frassinetti

(Protetora da Família e da Juventude – 12 de junho)

Ó Santa Paula, que com humildade e ardente fé, te abandonaste toda à vontade de Deus, sempre segura de sua bondade e das suas promessas, faze pela tua intercessão que ternamente confiando na misericórdia do Senhor, obtenha do seu Coração a graça que desejo.

Ó Santa Paula, que durante os dias de prova, nos sofrimentos do corpo e nas angústias da alma, sempre esperaste com firme confiança na infinita misericórdia de Deus, faze pela tua intercessão que, esperando filialmente da generosidade do Senhor o socorro nas minhas misérias, obtenha do seu coração a graça que desejo.

Ó Santa Paula, que colocaste toda a tua alegria em amar o Senhor e a sua cruz, para saber socorrer com fraterno e materno coração a todas as misérias, faze pela tua intercessão que amando fervorosamente a Deus e o próximo por amor de Deus, obtenha do seu Coração a graça que tanto desejo.

© 2017 Gular Digital | SEMPRE INOVANDO

X